Why vegan? I

fevereiro 11, 2017

(english version bellow)

«Be the change you want to see in the world" - Mahatma Gandhi 


Quando era nova, devia ter uns 10 anos, li um livro que se chamava "tudo o que uma rapariga precisa de saber", ou qualquer coisa do género. Lembro-me especialmente de ler sobre o vegetarianismo nesse livro. E lembro-me da sensação que senti. Como se aquilo fosse eu. Como se eu fosse o vegetarianismo. Identifiquei-me imediatamente. E depois disse à minha madrinha, com quem estava na altura, que queria ser vegetariana. Sabem qual foi a resposta dela? Não sejas maluca. Não entendia essa resposta. Mas com 10 anos nada poderia fazer. E confesso que me esqueci disso, passado uns tempos.
Até ao ano passado.
Sempre tive um problema de saúde crónico. Devido a circunstâncias que ocorreram em fevereiro de 2016, lembro-me que "acordei". Não queria mais correr riscos de ter uma recaída. Tinha acontecido uma coisa tão boa que tinha de fazer tudo o que estivesse ao meu alcance para que continuasse assim durante muito tempo. Foi ai que começaram as minhas pesquisas. Pesquisei a fundo sobre alimentação, sobre como ter uma vida e um estilo de vida saudável, tudo o que conseguia e me lembrava. Em vários artigos, blogs, sites, encontrei a solução. Estava cientificamente provado que uma alimentação vegetariana restrita era considerada a mais saudável. Eram tantos os benefícios, que fazia imenso sentido que começasse a seguir esse tipo de alimentação.
Isto coincidiu com a morte do meu avô (em janeiro de 2016), que faleceu de cancro. Já no ano anterior, duas pessoas da minha família tinham tido cancro. E, ridiculamente, depois do meu avô falecer, foi a vez da minha avó ter cancro. Via aqui um panorama que me assustou.
Em vários estudos já realizados, também se comprovou que uma alimentação livre de cadáveres e produtos animais ajudava no tratamento do cancro, e na sua prevenção. Como poderia eu negar os benefícios que poderia tirar de uma alimentação vegetariana restrita? Aqui, estava feita a minha decisão.
Mas continuei a pesquisar. Como poderia obter as vitaminas, os minerais, os nutrientes todos necessários apenas de fontes vegetais. E com isto, acabei por me cruzar com toda uma nova realidade que, confesso, me passava ao lado - o impacto que a industria alimentar tinha, tanto na nossa saúde, como na vida dos animais e na vida do nosso planeta. Era impossível ficar indiferente a isto.
Aqui, surgiu a decisão de me tornar vegan.

E foi esta decisão que me trouxe aqui. Não me arrependo nunca de ter tomado esta decisão. Posso afirmar que a minha saúde nunca esteve melhor, sinto me feliz, com imensa energia.
No final, é só isso que importa, certo?

Até ao próximo post!

(Falarei mais aprofundadamente sobre as razões que me levam as pessoas ao veganismo nos próximos posts. Stay tuned!)

Recomendação: Vejam os documentários Food Choices, Cowspiracy, Forks over Knifes e Earthlings.

A.




When I was younger, probably qith 10 years old, I read a book that was called "everything a girl needs to know". I especially remember reading about vegetarianism in this book. And I remember the feeling I felt. As if that were me. As if I were vegetarianism. I identified immediately. And then I told my godmother, with whom I was at the time, that I wanted to be a vegetarian. Do you know what her response was? Don't be crazy. I did not understand that answer. But at age 10, nothing could be done. And I confess that I forgot that, after a while.
Until last year.I've always had a chronic health problem. Due to circumstances that occurred in February 2016, I "woke up." I did not want to take any more chances of having health problems. Something so good had happened that I had to do everything I could to keep it going for a long time. That's where my research started. I researched thoroughly about food, about how to have a healthy life and lifestyle, everything I could and remembered. In several articles, blogs, websites, I found the solution. It was scientifically proven that a restricted vegetarian diet was considered the healthiest. There were so many benefits, that it made a lot of sense to start following this type of food.This coincided with the death of my grandfather (in January 2016), who died of cancer. Already in the previous year, two people in my family had had cancer. And, ridiculously, after my grandfather passed away, it was my grandmother's turn to have cancer. I saw a panorama that startled me.In a number of studies already conducted, it has also been shown that a free diet of carcasses and animal products aided in the treatment and prevention of cancer. How could I deny the benefits I could derive from a restricted vegetarian diet? Here, my decision was made.But I continued to search. How could you get the vitamins, the minerals, the nutrients all just needed from plant sources. And with that, I came across a whole new reality that, I confess, was passing me by - the impact that the food industry had on our health, on the life of animals and on the life of our planet. It was impossible to remain indifferent to this.Here came the decision to become vegan.And it was this decision that brought me here. I never regret having made this decision. I can say that my health has never been better, I feel happy, with immense energy.In the end, that's all that matters, right? Until the next post!

(I will be talking about all of the reasons to turn vegan in the next posts! Stay tuned.)

Watch: Food Choices, Cowspiracy, Forks over Knifes e Earthlings.

A.

You Might Also Like

0 comentários